Vol. 24 (2014): Las historias de vida
Presentación del Monográfico

Potencialidades da investigação narrativa na construção de uma investigação-ação-expressão dramática e desenvolvimento profissional de educadores/as de infância.

Publicado octubre 26, 2015

Palabras clave:

Investigação narrativa, investigação-ação, desenvolvimento profissional, educação infantil, expressão dramática.

Resumen

Este artigo apresenta uma síntese do enquadramento concetual, do dispositivo metodológico e alguns resultados de um estudo em ciências da educação em Portugal. Apresentam-se e analisam-se alguns processos desenvolvidos em um projeto de investigação-ação com três educadoras de infância, recorrendo à abordagem narrativa. As diferentes narrativas realizadas evidenciaram um (per) curso de formação contínua em contexto no âmbito da expressão dramática. Assim, perspetivou-se o valor educativo e formativo do drama e compreendeuse que a investigação narrativa favorece a reflexividade e a sistematização do conhecimento em diferentes instâncias.

 

Citas

Aguilar, L. F. (2001). Expressão e educação dramática: guia pedagógico para o 1.º ciclo do ensino básico. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional.

Bertram, T. & Pascal, C. (2009). Manual DQP - Desenvolvendo a qualidade em parcerias (J. Oliveira-Formosinho et al., Trad.). Lisboa: Ministério da

Educação - Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular.

Boal, A. (2002). Jogos para atores e não-atores (5.ª ed.). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Bowell, P. & Heap, B. (2010). Drama is not a dirty word: past achievements, present concerns, alternative futures. Research in Drama Education: The

Journal of Applied Theatre and Performance, 15(4), 579-592. doi: 10.1080/13569783.2010.512191

Camilleri, P. (2012). Integrating drama and arts processes into everyday learning. Educating Young Children - Learning and teaching in the early

childhood years, 18(2), 37-39.

Carr, M. & Lee, W. (2012). Learning stories: constructing learner identities in early education. London: Sage Publications.

Clandinin, D. J., Pushor, D. & Orr, A. M. (2007). Navigating sites for narrative inquiry. Journal of Teacher Education, 58(1), 21-35. doi: 10.1177/0022487106296218

Coulter, D. (2002). What counts as action in educational action research?Educational Action Research, 10(2), 189-206. doi:10.1080/09650790200200181

Crawford, B. (1997). Teacher intervention within dramatic play. (Tese de Doutoramento), University of Toronto, Toronto. Decreto-Lei n.º 22/2014 de 11 de fevereiro. Diário da República n.º 29 – I Série.

Lisboa: Ministério da Educação e Ciência

Decreto-Lei n.º 240/2001 de 30 de agosto. Diário da República n.º 201 - I SérieA. Lisboa: Ministério da Educação. Decreto-Lei n.º 241/2001 de 30 de agosto. Diário da República n.º 201 - I SérieA. Lisboa: Ministério da Educação.

Edwards, C., Forman, G. & Gandini, L. (Eds.). (2012). The hundred languages of children: the Reggio Emilia experience in transformation (3.ª ed.). Santa Barbara: Praeger.

Epstein, A. S. (1993). Training for quality: improving early childhood programs through systematic inservice training. Ypsilanti-Michigan: High/Scope Educational Research Foundation.

Ewing, R. (2010). Australian education review - The arts and australian education: realising potential (C. Glascodine Ed.). Victoria: Australian Council for Educational Research.

Folque, M. A. & Siraj-Blatchford, I. (2011). Fostering communities of learning in two portuguese pre-school classrooms applying the Movimento da Escola Moderna (MEM) pedagogy. International Journal of Early

Childhood, 43(3), 227-244. doi: 10.1007/s13158-011-0047-5

Godinho, J. C. & Brito, M. J. N. (2010). As artes no jardim de infância - Textos de apoio para educadores de infância. Lisboa: Ministério da Educação - Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular.

Guss, F. G. (2005). Dramatic playing beyond the theory of multiple intelligences. Research in Drama Education: The Journal of Applied Theatre and Performance, 10(1), 43-54. doi: 10.1080/13569780500053155

Heikkinen, H., Huttunen, R., Syrjälä, L. & Pesonen, J. (2012). Action research and narrative inquiry: five principles for validation revisited. Educational

Action Research, 20(1), 5-21. doi: 10.1080/09650792.2012.647635

Kemmis, S. (2009). Action research as a practice‐based practice. Educational Action Research, 17(3), 463-474. doi: 10.1080/09650790903093284

Kielhofner, G. (2002). A model of human occupation: theory and application (3.ª ed.). Baltimore: Lippincott Williams & Wilkins.

Kowalski, I. (2009). O quotidiano da criança na expressão dramática: Um estudo de caso. In J. Oliveira-Formosinho (Ed.), Desenvolvendo a qualidade em parcerias: estudos de caso (pp. 215-229). Lisboa:

Ministério da Educação - Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular.

Latorre, A. (2008). La Investigación-Acción (9.ª ed.). Barcelona: Graó.

Lopes, A. & Pereira, F. (2004). Escritos de trabalho e construção social da acção educativa institucional: (e)feitos de um processo de investigaçãoacção.

Educação, Sociedade & Culturas, 22, 109-132.

Malaguzzi, L. (1993). For an education based on relationships. Young Children, 49(1), 9-12.

Neiva, M., Lopes, A. & Pereira, F. (2013). Saberes em ação captados pelo texto e pela imagem - Narrativa de uma experiência formativa no campo da expressão dramática. Comunicação apresentada nas IV Jornadas de historias de vida en educación - El papel de la investigación biográfico narrativa en la formación inicial y permanente del professorado, San Sebastián. Disponível em http://historiasdevida2013.files.wordpress.com/2013/03/neiva_lopes_pereira.doc

New Zealand Ministry of Education. (1996). Te whāriki - Early childhood curriculum. Wellington: Learning Media.

Niza, S. (1996). O modelo curricular para a educação pré-escolar da Escola Moderna Portuguesa. In J. Oliveira-Formosinho (Org.), Modelos curriculares para a educação de infância (pp.93-137). Porto: Porto

Editora.

Nunes, R. (2010). A investigação-acção como uma nova forma de compreender a investigação e a ciência. Entrelugares: Revista de Sociopoética e Abordagens Afins, 2(2), 1-17.

Oliveira-Formosinho, J. & Araújo, S. B. (2004). O envolvimento da criança na aprendizagem: construindo o direito de participação. Análise Psicológica,

(XXII), 81-93.

Oliveira-Formosinho, J. & Formosinho, J. (2011). Pedagogia-em-participação: a perspetiva da associação criança. In Júlia Oliveira-Formosinho (Ed.), O

espaço e o tempo na pedagogia-em-participação (pp. 97-117). Porto: Porto Editora.

Pinnegar, S. & Daynes, J. G. (2007). Locating narrative inquiry historically. In D. Jean Clandinin (Ed.), Handbook of narrative inquiry: mapping a methodology (pp. 3-34). Thousand Oaks, Ca.: Sage.

Post, J. & Hohmann, M. (2004). Educação de bebés em infantários: cuidados e primeiras aprendizagens (Sara Bahia, Trad. 2.ª ed.). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Rosseto, R. & Rodrigues, J. (2013). O espectador teatral na pequena infância: formação continuada dos docentes da rede municipal de Curitiba. Revista Educação, Artes e Inclusão, 7(1), 78-95.

Sharp, A. C., Escalante, D. L. & Anderson, G. T. (2012). Literacy instruction in kindergarten: using the power of dramatic play. California English, 18(2),16-18.

Sun, P.-Y. (2005). Drama in education: the process of self-discovery and transformative learning. (Tese de Doutoramento), School of Education - Indiana University, Indiana.

Tarman, B. & Tarman, I. (2011). Teachers' involvement in children's play and social interaction. Elementary Education Online, 10(1), 325-337.

Whalley, M. (2007). Involving parents in their children's learning: Sage Publications.

Whalley, M., Arnold, C., Lawrence, P. & Peerless, S. (2012). The voices of their childhood: families and early years' practitioners developing emancipatory methodologies through a tracer study. European Early

Childhood Education Research Journal, 20(4), 519-535. doi: 10.1080/1350293x.2012.739825