Vol. 24 (2014): Las historias de vida
Presentación del Monográfico

Análisis de una narrativa autobiográfica profesional en la enseñanza superior.

Publicado octubre 26, 2015

Palabras clave:

Educación Continua de Maestros, Relatos Biográficos, Educación Superior, Desarrollo Profesional de Maestros.

Resumen

Investigadores en Ciencias de la Educación han estado buscando en la experiencia de los profesores un camino para entender mejor su formación, tanto como personas y como profesionales. Conscientes de que la narrativa, como rescate de memoria, es un instrumento importante para reflexionar sobre la enseñanza de las carreras en la educación superior, se ha llevado a cabo un estudio basado en una entrevista autobiográfica. A través de la entrevista de un profesor recientemente jubilado, y más importante, por medio de su propia narrativa, nos proporcionó la información que nos ha permitido desentrañar la historia detrás de su vida profesional, ¿cómo empezó su carrera, como él mismo desarrolló profesionalmente , ¿cómo se convirtió en el maestro que es hoy , ¿cuáles son sus creencias y concepciones acerca de ser un maestro. Otros temas tratados fueron: la enseñanza, la formación pedagógico-didáctica, y el trabajo docente. Con este texto creemos que somos capaces de contribuir al debate sobre la importancia y las posibilidades presentadas por la utilización del método de las historias de vida en la educación de los maestros en curso.

 

Citas

André, Marli Eliza D. A. (1995) Etnografia da prática escolar. 2. ed. CampinasSP: Papirus.

Bareicha, P. (1988). Educação, teatro e psicodrama: em busca de conexões. Revista Linhas Críticas, Brasília, v. 4, n. 7-8, jul.

Benjamin, W. (1985). Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense.

Benjamin, W. (1994) O Narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da

cultura. São Paulo: Brasiliense.

Bergson, H. (1959). Introduction à la métaphysique. Paris: Presses Universitaires de France.

Bertaux, D. (1997). Les récits de vie, Paris: Ed. Nathan (col.128).

Bueno, B. O. et al (2006). Histórias de vida e autobiografias na formação de professores e profissão docente (Brasil 1985-2003). Educação e Pesquisa, S.

Paulo, v. 2, n.2, p.385-410, maio/ago.

Carvalho, A. P. C.; Gil-Pérez, D. (1995) Formação de professores de ciências: tendências e inovações. 2. ed. São Paulo: Cortez

Clark, C. M., & Peterson, P. (1986). Teachers' thought processes. In Wittrock. M (Ed.), Handbook of research on teachin. New York: Macmillan, 255-296.

Conelly, F.; Clandinin, D. (1995). Relatos de experiencia y investigación narrativa. In Larrosa, J. et al. Déjame que te cuente: ensayos sobre narrativa y educación. Barcelona: Laertes, 15-59.

Esteves, M. (2010). Sentidos da inovação pedagógica no ensino superior. In Leite, C. (org), Sentidos da pedagogia no ensino superior. Porto: CIIE/Livpsic,

-61.

Ferrarotti, F. (1988). Sobre a autonomia do método biográfico. In NÓVOA, A. e Finger, M. O método (auto) biográfico e a formação. Lisboa: MS/DRHS/CFAP, 1988.

Ferrarotti, F. Sobre a autonomia do método biográfico. In: Nóvoa, A.; Finger, M.O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: MS/DRHS/CFAP, 1988.

Finger, M. (1988). As Implicações Sócio-epistemológicas do Método Biográfico. In A. Nóvoa e Finger, M. (eds.), O Método (Auto) biográfico e a Formação. Lisboa: Ministério da Saúde -Cadernos de Formação 1, 79-86.

Flick, U.W.E. (2010). Entrevista episódica. In: Bauer, M.W.; Gaskell, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: Um manual prático (Orgs.). Tradução de Pedrinho Guareschi. Petrópolis, RJ: Vozes.

Freire, P. (1996). Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

Gauthier, C. et. all. (1998) Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente - Coleção Fronteiras da Educação. Ijui: Ed.Unijuí.

Gorodokin, I. (2006). La formación docente y su relación com la epistemologia, Revista Iberoamericana de Educación, nº. 37/5. Disponible en:

http://www.rieoei.org/deloslectores/1164Gorodokin.pdf accedido en 10-01-2014.

Halbwachs, M. (1990). A memória coletiva. São Paulo: Vértice. Editora Revista dos Tribunais.

Hargreaves, A. (1998) Os Professores em Tempos de Mudança: O Trabalho e a Cultura dos Professores na Idade Pós-Moderna. Lisboa, Ed. McGraw-Hill de Portugal, Lda.

Hargreaves, A. (1998). Os Professores em Tempos de Mudança: O Trabalho e a Cultura dos Professores na Idade Pós-Moderna. Lisboa, Ed. McGraw-Hill de Portugal, Lda.

Hargreaves, A. (2000). Four ages of professionalism and professional learning. Teachers and Teaching: Theory and Practice, 6 (2), 151-182 Disponível em:

http://dx.doi.org/10.1080/713698714

Josso, M. C. (1998). Da Formação do sujeito ao sujeito da formação. In: Nóvoa, A.; Finger, M. O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: MS/DRHS/CFAP.

Josso, M.C. (2002) Experiências de vida e formação. Lisboa: Educa.

Jovchelovitch, S.; Bauer, M. W. (2010). Entrevista narrativa. In: Bauer, M. W.; Gaskell, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: Um manual prático

(Orgs.). Tradução de Pedrinho Guareschi. Petrópolis, RJ: Vozes

Larrosa, J. (1998) La experiencia de la lectura: estudios sobre literatura y formación. Barcelona: Laertes.

Larrosa, J.; Fenoy, S. (2002). Maria Zambrano: L'Art de les Mediacions (Textos pedagògics). Barcelona, Publicacións de La Universitat de Barcelona.

Le Goff, J. (2003). História e memória. Campinas, SP: Unicamp.

Leite, C. (2007). Que lugar para as ciências da educação na formação para o exercício da docência no ensino superior? in IX Congresso SPCE – Educação

para o sucesso: políticas e actores, Funchal: UMadeira, 131-140.

Leite, C. (2012). Qualidade da educação superior e formação de professores: uma análise a partir da situação em Portugal in Cecilia Luiza Broilo, Maria

Isabel da Cunha, Qualidade da educação superior: grupos investigativos internacionais em diálogo, Junqueira & Marin Editores, 99-117.

Leite, C. et al. (2011). “A place for arguing in engineering education: A study on students’ assessments”. European Journal of Engineering Education, 36 (6),

-616.

Leite, C.; Fernandes, P. (2011). Inovação pedagógica: Uma resposta às demandas da sala de aula universitária. Perspectiva, 29 (2), 507-533.

Leite, C.; Ramos, K. (2007). “Docência universitária: análise de uma experiência de formação na Universidade do Porto”, in Cunha, Mª I. (org.).

Reflexões e práticas em pedagogia universitária, Campinas-SP, Papirus, 27 -42.

Leite, C.; Ramos, K. (2009). “Questões da formação pedagógico-didáctica na sua relação com a profissionalidade docente universitária: alguns pontos para debate”, in LEITE, C., (2010) – org. – Sentidos da pedagogia no ensino superior, Porto: Legis Editora, Livpsic/CIIE, 29-43.

Lopes, A. et al. (2007). Fazer da formação um projecto: formação inicial e identidades profissionais docentes. Porto: Livpsic.

Ludke. M (1996). Sobre a socialização profissional de professores. Cadernos de Pesquisa nº 99, 1996, p. 5-15.

Macintyre, A. (1987). Tras la virtud. Barcelona: Crítica.

Marcelo García, C.; Vaillant, D. (2009). Desarrollo profesional docente. ¿Cómo se aprende a enseñar? Madrid, España: Narcea Ediciones.

Marcelo, C. (2009). Desenvolvimento profissional docente: passado e futuro, Sisífo, Revista de Ciências da Educação, n. 8, jan/abril, p.7-22.

Martins, E. (2008). Memória e experiência vivida: a domesticação do tempo na história. Revista Antíteses, vol. 1, n. 1, jan.- jun. de 2008, 17-30. Disponible en:

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses. Accedido en 05/08/2013.

Martins, G. (2012). Dar consciência à memória: negociar propostas, integrar desvios. Disponível em:

http://www.fpce.up.pt/iiijornadashistoriasvida/pdf/2_Dar%20Consciencia%20a%20Memoria.pdf. Acesso em 01/08/2013.

Meksenas, P. (2002). Pesquisa social e ação pedagógica: conceitos, métodos e práticas. São Paulo: Loyola.

Moraes, A. (2004). Histórias de vida e autoformação de professores: alternativa de investigação do trabalho docente. Pro-Posições, v. 15, n. 2 (44), maio/ago.

Disponible en: <http://mail.fae. unicamp.br/~proposicoes/textos/44artigosmoraesaaa.pdf.>. Acesso em 01/08/2013.

Nóvoa, A. (1992). “Formação de professores e profissão docente”, in Nóvoa, A. (org). Os professores e a sua formação, Publicações D. Quixote/Instituto de

Inovação Educacional, p. 13-33.

Nóvoa, A. (2000). Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, António (org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, p. 11-30.

Nóvoa, A.; Finger, M. (Orgs.) (1988). O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde, Depart. de Recursos Humanos da Saúde/Centro

de Formação e Aperfeiçoamento Profissional.

Nunes, C. (2003) Memória e história da educação: entre práticas e representações. In: Leal, M. C.; Pimentel, M.A.L. (org). História e memória da escola nova. São Paulo: Loyola.

Oliveira, M. (2011). Práticas educativas e narrativas (auto) biográficas em ambientes virtuais de aprendizagem. Revista Teias v. 12 nº 25, maio/ago, 171-

(Ética, Saberes & Escola).

Peneff, J. (1990). La méthode biografique, Paris: Ed. Armand Colin.

Perrenoud, Ph. (1993). Práticas pedagógicas, profissão docente e formação : perspectivas sociológicas. Lisboa : Dom Quixote.

Perrenoud, Ph. (2001) Développer la pratique réflexive dans le métier d'enseignant. Professionnalisation et raison pédagogique. Paris : ESF.

Pineau, G.; Le Grand, J. (1993). Les Histoires de Vie. Paris: PUF.

Ramalho, B.L.; Nuñez, I.B. e Gauthier, C. (2000). Quando o desafio é mobilizar o pensamento pedagógico do professor(a): uma experiência centrada na

formação continuada. In: ANPED (org), Anais, 20a Reunião Anual da Anped (pp. 112-123). Caxambú: Minas Gerais.

Nóvoa, A.; Finger, M. (1988).O método (auto) biográfico e a formação. Lisboa, Ministério da Saúde – Departamento de Recursos Humanos.

Rey, B. (1996). Les compétences transversales en question. Paris: ESF Editeur.

Ricoeur, P. (2001). Del texto a la acción, Ensayo de hermenéutica II, Fondo de Cultura Económica, Argentina.

Salgueiro, A. (1998). Saber docente y práctica cotidiana –un estudio etnográfico. Editorial Octaedro. Barcelona. Espanha.

Schön, D. (2000). Educando o Profissional Reflexivo: um novo design para o ensino e aprendizagem. Tradução de Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed Editora.

Schön, D. (2006) Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre, RS: Artmed.

Souza, E. (2006b) Pesquisa Narrativa e escrita (auto) biográfica: interfaces metodológicas e formativas. In Souza, E.; Abrahão, M.H. Tempos, narrativas e

ficções: a invenção de si. Porto Alegre: Edipucrs, 135-147.

Souza, E. (2006b). A arte de contar e trocar experiências: reflexões teóricometodológicas

sobre história de vida em formação. In Revista Educação em Questão, Natal, v.25, n. 11, jan./abr, 22–39.

Souza, A.V.M. (2007). Marcas de diferença: subjetividade e devir na formação de professores. Rio de Janeiro: E-papers. Schutze, F. Biography analysis on the empirical base of autobiographical narratives: How to analyse autobiographical narrative interviews-Part 1. Module

B.2.1 and B.2.2 INVITE-Biographical counseling in rehabilitative vocational trainingfurther education curriculum, 2007. Disponible en:

http://www.biographicalcounselling.com/download/B2.1.pdf. Accedido en: 30/03/2014

Tardif, M. (2000) Saberes Profissionais dos Professores e Conhecimentos Universitários: Elementos para uma Epistemologia da Prática Profissional dos Professores e suas Conseqüências em Relação à Formação para o

Magistério". Revista Brasileira de Educação, ANPED, 13, 05-24.

Tardif, M. (2002). Saberes docentes e formação profissional. Rio de Janeiro: Cortez.

Thompson, P. (1992). A voz do passado passado passado: história oral. Rio de Janeiro: Paz & Terra.

Zabalza, M. (1994). Diários de Aula. Contributos para o estudo dos dilemas práticos dos professores. Porto, Porto Editora.

Zabalza, M. (2011). Nuevos enfoques para la didáctica universitaria actual. Perspectiva, 29 (2), 387-416.

Zabalza, M. (2012). Las competencias en la formación del profesorado: de la teoría a las propuestas prácticas. In Tendencias Pedagógicas, 20, 5-32.

Zeichner, K. M. (1993) A Formação Reflexiva de Professores: Idéias e Práticas. Lisboa: Educa Editora.