Vol. 36 (2020): La alfabetización académica
Miscelánea

Formación docente: el camino de la docencia universitaria en el Programa de Grado de Pedagogía de la UAB / UECE

Mayara Alves Loiola Pacheco
Universidade Estadual do Ceará
Biografía
Rachel Rachelley Matos Monteiro
Universidade Estadual do Ceará
Biografía
Alana Dutra do Carmo
Universidade Estadual do Ceará
Biografía
Antonio Germano Magalhães Júnior
Universidade Estadual do Ceará
Biografía
Portada TP36
Publicado marzo 30, 2020

Palabras clave:

educación, pedagogía, formación del profesorado, educación a distancia

Resumen

La educación a distancia tiene características específicas, rompiendo con la concepción de presencia en el proceso de enseñanza-aprendizaje. Este trabajo proviene de la investigación sobre la formación del profesorado y la trayectoria profesional de los docentes del curso de Pedagogía en la modalidad de educación a distancia de la Universidad Abierta de Brasil. Apuntamos a comprender el camino formativo de los docentes del Curso de Pedagogía en la UAB de una Institución de Educación Superior para el ejercicio de la enseñanza en un curso de educación a distancia. El presente estudio es un enfoque cualitativo, que ha seguido el método de estudio de caso. Tuvimos una muestra de 10 maestros que impartían las asignaturas de Evaluación Educativa y 5 que estaban a la cabeza de la asignatura Didáctica General. Mapeamos su formación inicial, continua y complementaria para comprender la trayectoria profesional de cada uno de estos docentes, en particular, de los "formadores profesionales". Concluimos que la formación de los docentes y su trayectoria profesional son esenciales en el desempeño docente y, en este estudio, con los entendimientos teóricos y prácticos sobre la modalidad educativa, nuestro objetivo es comprender el camino formativo de los docentes de la Licenciatura en Pedagogía UAB se logró, permitiéndonos reflexionar sobre las trayectorias profesionales y la constitución de "ser maestro".

Citas

Almeida, M. E. B. (2003). Educação a distância na internet: abordagens e contribuições dos ambientes digitais de aprendizagem. Educação e Pesquisa, 29(2), pp. 327-340. doi: 10.1590/S1517-97022003000200010

Bogdan. R., & Biklen, S. (1994). Investigação Qualitativa em Educação. Porto: Porto.

Costa, L. A. C., & Franco, S. R. K. (2005). Ambientes virtuais de aprendizagem e suas possibilida-des construtivistas. Novas Tecnologias na Educação, 3(1). doi: 10.22456/1679-1916.13781

Cruz, M. V. T., & Cavalcante, M. M. D. (2018). Experiências de EaD em cursos de Pedagogia do Ceará: um olhar sobre a matriz curricular. Curitiba: Appris Editora.

Dal-Farrs, R. A., & Lopes, P. T. C. (2013). Métodos mistos de pesquisa em educação: pressupostos teóricos. Nuances: estudos sobre Educação, Presidente Prudente-SP, 24(3), pp. 67-80. doi: 10.14572/nuances.v24i3.2698

Depresbiteris, L. (1999). Avaliação educacional em três atos. SENAC.

Decreto nº5.800 de 8 de junho de 2006. Dispõe sobre o Sistema Universidade Aberta do Brasil-UAB. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5800.htm

Farias, I. M. S., Sales, J. O. C. B., Braga, M. M. S. C., & França, M. S. L. M. (4a ed.). (2014). Didáti-ca e docência aprendendo a profissão. Brasília: Liber Livro.

Freire, P. (2006). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. (34ª ed.). São Paulo: Paz e Terra.

Freire, P. (1970). Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

García, C. M. (1999). Formação de Professores: Para uma mudança educativa. Coleção Ciências da Educa-ção século XXI. Porto: Porto Editora.

Gauthier, C., Mortineau, S., Desbiens, J-F., Malo, A., & Simard, D. (1998). Por uma teoria da Pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí: Unijuí.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. (4a ed.). São Paulo: Atlas.

Imbernón, F. (2000). Formação Docente e Profissional: forma-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez.

Jardilino, J. R. Lima., & Sampaio, A. M. M. (2019). Desenvolvimento profissional docente: reflexões sobre política pública de formação de professores. Educação & Formação, 4(10), pp. 180-194. doi: 10.25053/redufor.v4i10.848

Johnsin, R.B., Onweugbuzie, A. J., & Turner, L. A. (2007). Toward a definition of mixed methods research. Journal of Mixed Methods Research, 1(2), pp. 112-133. doi: 10.1177/1558689806298224

Junges, F. C., Ketzer, C. M., & Oliveira, V. M. A. (2018). Formação continuada de professores: saberes ressignificados e práticas docentes transformadas. Educação & Formação, 3(9), pp. 88-101. doi: 10.25053/redufor.v3i9.858

Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. (13ª ed.). Brasília: Câmara dos Deputados. Recuperado de https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

Moraes, M. C. (Org.). (2002). Educação a distância: fundamentos e práticas. São Paulo, Unicamp/NIED.

Pimenta, S. G., Fusari, J. C., Pedroso, C. C. A., & Pinto, U. A. (2017). Os cursos de licenciatura em pedagogia: fragilidades na formação inicial do professor polivalente. Educação e Pesquisa, 43(1), pp. 15-30. doi: 10.1590/s1517-9702201701152815

Resolução CNE/CP n. 01, de 15 de maio de 2006. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia, Licenciatura. Recuperado de https://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf

Rocha, C. M. F. (2006). As “novas” tecnologias e o(s) dispositivo(s) de controle. In: L. H. Sommer, & M. I. E. Bujes (Orgs.). Educação e cultura contemporânea: articulações, provocações e transgressões em no-vas paisagens. Canoas: Ed. Ulbra.

Sampaio, M. N., & Leite, L. S. (1999). Alfabetização tecnológica do professor. Petrópolis: Vozes.

Silva, A. (2006). Processos de ensino-aprendizagem na era digital. O Professor (93). Portugal: Editorial Caminho. Recuperado de https://www.bocc.ubi.pt/_listas/tematica.php?codtema=2

Silva, M. (Org). (2ª ed.). (2006). Educação online: teorias, práticas, legislação e formação corporativa. São Paulo: Loyola.

Schön, D. A. (2000). Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artés Médica Sul.

Tardif, M. (17ª ed.). (2008). Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes.

Tavares, K. C. A. (2001). O professor virtual: reflexões sobre seu papel e sua formação. Recuperado de https://www.lingnet.pro.br/papers/eadprof.htm

Universidade Estadual do Ceará. (2011). Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia. Fortaleza: UECE.

Universidade Estadual do Ceará. (2017). Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura a Distância (UAB) em Pedagogia. Fortaleza: UECE.

Vidal, E. M., Maia, J. E. B., & Gomes, E. P. (1ª ed.). (2014). Introdução à Educação. UAB/UECE. Fortaleza.

Ventura, M. M. (2007). O Estudo de Caso como Modalidade de Pesquisa. Pedagogia médica. Rev SOCERJ, 20(5), pp. 383-386.

Yin, R. K. (5ª ed.). (2015). Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman.