Vol. 10 Núm. 4 (2012): El Diseño Curricular como Factor de Calidad Educativa
Artículos

O Currículo da Educação de Jovens e Adultos e o Ensino de Ciências: Um olhar sobre a Cultura

Publicado enero 15, 2016

Palabras clave:

Cultura, currículo, educação de jovens e adultos, ensino de ciências

Resumen

Atuar na investigação sobre a Educação de Jovens e Adultos (EJA) não delimita apenas a reflexão sobre uma faixa etária diferenciada de alunos, mas remete, dentre outros elementos, ao pensar e agir junto a um grupo com especificidades culturais. Alguns currículos brasileiros direcionados ao ensino e aprendizagem na disciplina de Ciências na EJA vêm aumentando a atenção quanto à heterogeneidade cultural, como resultado do maior conhecimento acerca dos sujeitos dessa aprendizagem. No presente artigo expomos resultados de uma investigação qualitativa, que considerou como instrumentos a pesquisa bibliográfica e documental, sobre como a heterogeneidade cultural é contemplada nas diretrizes ou orientações curriculares nacionais (do Brasil), estaduais (do Paraná/Brasil) e municipais (de Cascavel/Paraná/Brasil), especialmente nos direcionamentos para a disciplina de Ciências. Os documentos norteadores da EJA, como pareceres, resoluções, propostas curriculares e diretrizes curriculares, foram estudados tendo por abordagem metodológica principal a Análise de Conteúdo. Tal ação pretende contribuir para a implementação de políticas e práticas que almejem a ação educativa pautada no respeito à cultura do aluno e da imersão na cultura científica.

 

Citas

Barcelos, V. (2010). Educação de jovens e adultos: currículo e práticas pedagógicas (2a ed). Petrópolis, RJ: Vozes.

Chassot, A. (2008). Sete escritos sobre educação e ciência. São Paulo: Cortez.

Chauí, M. (1998). Convite à filosofia. São Paulo: Ática.

Currículo para a rede pública municipal de Cascavel: Ensino Fundamental – Educação de Jovens e Adultos (2008), 3. Secretaria Municipal de Educação, Cascavel.

Diretrizes Curriculares da Educação de Jovens e Adultos/DCEs-PR (2006). Secretaria de Estado da Educação, Superintendência da Educação, Curitiba, PR.

Educação de Jovens e Adultos: proposta curricular para o primeiro segmento do ensino fundamental (1997). Ministério da Educação e do Deporto. Secretaria de Educação Fundamental.

Haddad, S. (2001). A educação continuada e as políticas públicas no Brasil. In: V. M. Ribeiro (Org.). Educação de jovens e adultos: novos leitores, novas leituras. Campinas, SP: Mercado de Letras.

Moraes, R. (1999). Análise de conteúdo. In: Revista Educação, 22 (37), pp.7-32. Porto Alegre.

Oliveira, M. K. de (2001). Jovens e adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. In V. M. Ribeiro (Org.). Educação de jovens e adultos: novos leitores, novas leituras. Campinas, SP: Mercado de Letras.

Parecer CNE/CEB n.11 de 2000 (2000).Analisa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Parecer da Câmara de Educação Básica (CEB) do Conselho Nacional de Educação (CNE). Brasília.

Perez, C. L. V., Sampaio, C. S. (2003). A pré-escola em Angra dos Reis: tecendo um projeto de educação infantil. En R. L. Garcia. A formação da professora alfabetizadora: reflexão sobre prática (4a ed.). São Paulo: Cortez.

Piconez, S. C. B. (2002). Educação escolar de jovens e adultos. Campinas, SP: Papirus.

Pozo, J. I. y Crespo, M. Á. G. (2009). A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico (5a ed.). Porto Alegre, RS: Artmed.

Proposta Curricular para a Educação de Jovens e Adultos - segundo segmento do Ensino Fundamental - 5a a 8a série, (Introdução, Vol. 01)(2002a). Propõe currículo para o 2º Segmento do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos. São Paulo: Ação Educativa; Brasília: MEC. Recuperado em 28 de maio, 2012, de <http://portal.mec.gov.br/se cad/arquivos/pdf/eja/propostacurricular/segundosegmento/propostacurricular.pdf>.

Proposta Curricular para a Educação de Jovens e Adultos - segundo segmento do Ensino Fundamental - 5a a 8a série - Matemática, Ciências, Arte, Educação Física (Vol. 03)(2002b). Propõe currículo para o 2º Segmento do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos. São Paulo: Ação Educativa; Brasília: MEC. Recuperado em 28 de maio, 2012, de <http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/eja/propostacurricular/segundosegmento/propostacurricular.pdf>.

Proposta Curricular para a Educação para jovens e adultos - primeiro segmento do Ensino Fundamental (2001). Propõe currículo para o 1º Segmento do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos (3a ed.). São Paulo: Ação Educativa; Brasília: MEC, 2001. Recuperado em 28 de maio, 2012, de <http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/eja/ propostacurricular/primeirosegmento/propostacurricular.pdf>.

CNE (2000). Resolução CNE/CEB n. 1, de 5 de julho de 2000. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Resolução da Câmara de Educação Básica (CEB) do Conselho Nacional de Educação (CNE). Brasília. Recuperado em 28 de maio, 2012, de <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12992: diretrizes-para-a-educacao-basica&catid=323:orgaos-vinculados>.

Staub, T., Strieder, D. M., Bar, M. V. (2010). A educação de jovens e adultos e o ensino de ciências - nuances históricas. In: Anais do II Simpósio Nacional de Educação e XXI Semana de Pedagogia, Cascavel, PR, Brasil.

Staub, T., Strieder, D. M. (2011). Cultura e ensino de ciências na educação de jovens e adultos no município de Cascavel, PR. In: Anais do XX Encontro Anual de Iniciação Científica, X Encontro de Pesquisa da UEPG e I Encontro Anual de Inciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, Ponta Grossa, PR, Brasil.

Strieder, D. M. (2007). As relações entre a cultura científica e a cultura local e a nas falas de professores: um estudo do pensar dos professores sobre o ensino de ciências em um contexto teuto-brasileiro. Tese de Doutorado, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, SP, Brasil.