Vol. 10 Núm. 1 (2012)
Artículos

A Educação a Distância e as Atribuições do Coordenador de Curso no Programa Universidade Aberta do Brasil

Publicado enero 16, 2016

Palabras clave:

Ensino, educação a distância, Universidade Aberta do Brasil

Resumen

Este estudo é o resultado de uma pesquisa realizada junto a Coordenadores de Curso que atuam no Sistema da Universidade Aberta do Brasil. Tem como propósito verificar se as atribuições estabelecidas pelo programa para a função de coordenador de curso vêm sendo observadas no desenvolvimento de suas atividades. O método de pesquisa utilizado foi o qualitativo, por meio de entrevistas focalizadas. Para o protocolo de entrevista, as perguntas foram divididas em grupos, envolvendo as atividades de planejamento, acompanhamento, avaliação, seleção e capacitação dos agentes envolvidos no processo. Após a análise dos resultados foi identificado que as atribuições estabelecidas pela Universidade Aberta do Brasil estão sendo parcialmente cumpridas pelos entrevistados, e que, principalmente as atividades de planejamento (desenvolvimento da metodologia de ensino, do material didático, planejamento da planilha financeira do curso e planejamento e desenvolvimento dos processos seletivos de alunos) ainda precisam de maior atenção por parte dos coordenadores.

Citas

Almeida, M.E.B. de (2002). Educação a distância no Brasil: diretrizes políticas, fundamentos e práticas. Anais do Congresso Ibero-Americano de Informática na Educação, Vigo, Espanha, 6.

Carvalho, J.L.F., y Vergara, S.C. (2002). A fenomenologia e a pesquisa dos espaços de serviços. Revista de Administração de Empresas, 42 (3), pp. 78-91.

Casotti, L. (1999). O que é a pesquisa do consumidor? Reflexões geradas a partir de um problema prático. Anais do Encontro Nacional da Associação dos Programas de Pós-Graduação em Administração, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, 23.

Decreto n. 5.800, de 08 de junho de 2006 (2006). Dispõe sobre o sistema Universidade Aberta do Brasil-UAB. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF: 2006. Disponível: http://www.planalto. gov.br/ccivil_03/ _Ato2004-2006/2006/Decreto/D5800.htm.

Decreto n. 5.622, de 19 de setembro de 2005 (2005). Dispõe sobre regulamenta o art. 80 da Lei no9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF: 2006. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5622.htm.

Gil, A.C. (2006). Métodos e técnicas de pesquisa social. (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Godoy, A.S. (1995). Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, 35 (2), pp. 57-63.

Jonassen, D. (1996). O Uso das novas tecnologias na educação à distância e a aprendizagem construtivista. Revista Em Aberto,16 (70), pp. 70-88.

LEI n 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (1996). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF.

Marconi, M.A., y Lakatos, E.M. (2005). Fundamentos de metodologia científica. (6a ed.). São Paulo, SP: Atlas.

Pereira, E.W., e Moraes, R.A. (2009). História da educação a distância e os desafios na formação de professores no Brasil. In: Souza, A. M., Fiorentini, L. M. R. y Rodrigues, M. A. M. (Org.).. Educação superior à distância: comunidade de trabalho e aprendizagem em rede, 3, pp. 65-90. Brasília: Universidade de Brasília, Faculdade de Educação.

Pontes, E.B. (2009). A comunidade de trabalho e aprendizagem em rede (CTAR) na Faculdade de Educação da UNB. In: Souza, A. M., Fiorentini, L. M. R. y Rodrigues, M. A. M. (Org.). Educação superior à distância: comunidade de trabalho e aprendizagem em rede, 1, pp. 17-36. Brasília: Universidade de Brasília, Faculdade de Educação.

Ramos, W.M., e Medeiros, L. (2009). A Universidade Aberta do Brasil: desafios da construção do ensino e aprendizagem em ambientes virtuais. In: Souza, A.M., Fiorentini, L.M.R. y Rodrigues, M.A.M. (Org.). Educação superior à distância: comunidade de trabalho e aprendizagem em rede, 1, pp. 17-36. Brasília: Universidade de Brasília, Faculdade de Educação.

Ray, M.A. (1994). The richness of phenomenology: philosophic, theoretic and methodologic concerns. In: J. M. Morse (Ed.). Critical issues in qualitative research methods. London: Sage.

Resolução n. 26, de 6 de junho de 2006. Estabelece as orientações e diretrizes para assistência financeira à implantação de projetos de qualificação profissional de alunos com necessidades especiais. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF: 2006. Disponível: http://www.fnde.gov.br/index.php/leg-res-2006.

Resolução n. 8, de 30 de abril de 2008. Altera os incisos I a V do art. 9º, o § 1º do art. 10 e o item 2.4 do Anexo I da Resolução CD/FNDE no 26/2009, que estabelece orientações e diretrizes para o pagamento de bolsas de estudo e de pesquisa a participantes da preparação e execução dos cursos dos programas de formação superior, inicial e continuada no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF: 2008. Disponível: http://ead.ufsc.br/files/2010/06/Resolu%C3%A7%C3%A3o-No-8-30-de-abril-de-2010-Bolsas-UAB.pdf

Roesch, S. (1999). Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guia para estágios, trabalhos de conclusão, dissertações e estudos de caso. (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Saraiva, T. (1996). Educação a distância no Brasil: lições da histórica. Revista Em Aberto, 16 (70), pp. 17-27.

Testa, M.G. (2002). Fatores críticos de sucesso de programas de educação a distância via internet. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Zuin, A.A.S. (2006). Educação a distância ou educação distante? O programa Universidade Aberta do Brasil, o tutor e o professor virtual. Revista Educação e Sociedade, 27 (96), pp. 935-954.