Efeitos da Construção de um Jogo Educativo de Matemática nas Atitudes e Aprendizagem Alunos: Estudo de Caso

Paula Sofia Nunes, Armando A. Soares, Paula Catarino

Resumen


Este trabalho descreve o processo de conceção e desenvolvimento de um jogo educativo de matemática denominado “Trivial matemático”, por alunos do 8.ºano de escolaridade, numa escola pública de Portugal, O jogo possibilita exercitar os mais variados conteúdos de matemática, através de pequenas adaptações, em qualquer ano de escolaridade do ensino básico. Neste trabalho investigou-se se a conceção de um jogo educativo promove a aprendizagem de conceitos matemáticos e identificaram-se implicações nas atitudes dos alunos face à matemática. A metodologia utilizada foi um design de estudo de caso. Trata-se de um estudo de caso misto pelo facto de existir uma combinação de instrumentos e técnicas, associadas aos estudos qualitativos e quantitativos. A recolha de dados, foi feita através da observação naturalista, da aplicação de tarefas e da aplicação de um inquérito por questionário. Na análise estatística dos dados foi utilizado o software spss. Os resultados obtidos sugerem que a utilização do jogo educativo, como recurso de apoio às aulas, produz uma melhoria significativa das atitudes dos alunos face à matemática, bem como, contribui para desenvolver a motivação dos alunos. Além disso, o processo de construção do jogo educativo aponta para uma melhoria na aprendizagem de conceitos geométricos inerentes ao jogo. 


Palabras clave


Matemática; Aprendizagem; Jogos educativo; Atitudes; Motivação.

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


Baptista, P. e DGEEC. (2017). Resultados escolares por disciplina 3º ciclo do ensino público. Ano letivo 2014/2015. Lisboa: Direção Geral de Estatísticas da Educação e Ciência.

Baptista, P. e DGEEC. (2018). Principais indicadores. Resultados escolares por disciplina 3º ciclo do ensino público 2011/2012-2015/2016. Lisboa: Direção Geral de Estatísticas da Educação e Ciência.

Girard, C., Ecalle, J. e Magnan, A. (2013). Serious games as new educational tools: How effective are they? A meta‐analysis of recent studies. Journal of Computer Assisted Learning, 29(3), 207-219.

Godoy, C. L. S. e Menegazzi, M. O. (2011, outubro). Uso de jogos no ensino da matemática. Comunicação apresentada em XIV Salão Intermunicipal de pesquisa. Lutheran University of Brazil, Guaíba.

Gonçalves, P. A. D. S. (2011). Jogos digitais no ensino e aprendizagem da matemática: Efeitos sobre a motivação e o desempenho dos alunos (Tese de Doutoramento). Universidade do Algarve, Algarve.

Grübel, J. M. e Bez, M. R. (2006). Jogos educativos. Revista Novas Tecnologias na Educação, 4(2), 57-79.

Katmada, A., Mavridis, A. e Tsiatsos, T. (2014). Implementing a game for supporting learning in mathematics. Electronic Journal of e-Learning, 12(3), 230-242.

Ke, F. (2014). An implementation of design-based learning through creating educational computer games: A case study on mathematics learning during design and computing. Computers & Education, 73, 26-39.

Ke, F. e Grabowski, B. (2007). Gameplaying for maths learning: Cooperative or not? British Journal of Educational Technology, 38(2), 249-259.

Kishimoto, T. M. (1994). O jogo e a educação infantil. Perspectiva, 12(22), 105-128.

McLaren, B. M., Adams, D. M., Mayer, R. E. e Forlizzi, J. (2017). A computer-based game that promotes mathematics learning more than a conventional approach. International Journal of Game-Based Learning, 7(1), 36-56.

Moratori, P. B. (2003). Por qué utilizar jogos educativos no processo de ensino aprendizagem. Rio de Janeiro: UFRJ.

Moreira, D. e Oliveira, I. (2004). O jogo e a matemática. Lisboa: Universidade Aberta.

Pinheiro, J. G. (2012). Sentir, pensar e agir na relação: Um programa de promoção de competências sociais aplicado a uma criança com Síndrome de Williams (Dissertação de Mestrado). Escola Superior de Educação, Castelo Branco.

Sande, D. e Sande, D. (2018). Uso do kahoot como ferramenta de avaliação e ensino-aprendizagem no ensino de microbiologia industrial. HOLOS, 12, 170-189.

Shimohara, C. e Sobreira, E. (2015). Criando jogos digitais para a aprendizagem de matemática no ensino fundamental I. Anais do Workshop de Informática na Escola, 21(1), 72-99.

Silva, I. D. O. e Morais, M. J. D. O. (2011). Desenvolvimento de jogos educacionais no apoio do processo de ensino-aprendizagem no ensino fundamental. HOLOS, 7, 15-27.

Silva, L. M. (2015). Ludicidade e matemática: Um novo olhar para aprendizagem. Psicologia & Saberes, 4(5), 10-22.

Victal, E., Junior, H., Rios, P. e Menezes, C. (2015). Aprendendo sobre o uso de jogos digitais na educação. Anais do XXI Workshop de Informática na Escola, 21, 444-453.

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: Planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman editora.

Zeza, B., Fanizzi, C., Benediti, F. e Nunes, F. (2012). Unidade didática: O uso do jogo no ensino da matemática. São Paulo: Universidade de São Paulo




DOI: http://dx.doi.org/10.15366/reice2018.16.4.001

Copyright (c) 2018 REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación está idexada en:

Scopus, Emerging Sources Citation Index (ESCI), Google Académico, Dialnet, ISOC, Redalyc, CIRC, DICE, GENAMICS, Latindex, MIAR, Resh, Biblioteca de la OEI, In-Recs, Iresie, REDIB, REDIAL, DOAJ, Dulcinea, EZB, BNE, GLOOBAL, REBIUN, Sudoc y WorldCat.