Avaliações Externas e Ensino Fundamental: Do Currículo para a Qualidade ou da “Qualidade” para o Currículo?

Fernanda da Rosa Becker

Resumen


O presente artigo tem por objetivo discutir a relação do processo de criação de Sistemas de Avaliação Educacional em Larga Escala em âmbito nacional e estadual com o currículo escolar do ensino fundamental. Nesse sentido, discute a criação do SAEB e da Prova Brasil e suas interfaces com o currículo, a criação e a expansão dos Sistemas Estaduais de Avaliação, as repercussões no currículo e algumas possibilidades de uso dos resultados de modo a contribuir para a qualidade do ensino fundamental ofertado na rede pública de ensino. O que se encontrou por meio da análise documental das matrizes de referência de sistemas de avaliação selecionados é que há preocupação em diferenciá-las da proposta curricular, mas o levantamento bibliográfico de estudos de caso de redes locais e estaduais de ensino indica que na prática a realidade é diferente e ao contrário do esperado, as contribuições e alterações no sentido de buscar uma educação de melhor qualidade não se dão no sentido currículo-avaliação, mas sim no sentido avaliação-currículo, o que se não for planejado e monitorado pode ter como consequência a redução curricular e perda da diversidade no ensino fundamental. 

 


Palabras clave


Avaliação educacional; responsabilização e currículo.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Almeida, Tenório e Schmitz (2011). O uso dos resultados da Prova Brasil na tomada de decisão em âmbito escolar. Anais do XX EPENN. Manaus, AM, Brasil.

Bonamino, A. e Sousa, S. (2012). Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Revista Educação e Pesquisa, 38 (2), pp. 373-388.

Coll, C. (1996) Psicologia e currículo. São Paulo: Ática.

Fernandes, R. (2007) Índice de desenvolvimento da educação básica. Série Documental. Brasília: INEP.

Freire (2008). SARESP 2005.As vicissitudes da avaliação em uma escola da rede estadual. Dissertação,SP: Faculdade de Educação USP, São Paulo.

Freitas e Ovando (2011). As iniciativas de avaliação nas redes escolares municipais. En D. Freitas, e G. Real, Políticas e monitoramento da qualidade do ensino fundamental cenários municipais. Dourados: UFGD.

Ovando (2011). A avaliação na política educacional de municípios sul-mato-grossenses. En D.Freitas, e S. Lima, (Ed) Políticas e Qualidade de Ensino em Redes Escolares Municipais Sul-Mato-Grossenses. Dourados: UFGD.

Pereira, M. e Mori, N.(2011) Diretrizes curriculares e desempenho dos alunos paranaenses da 8ª série do ensino fundamental na Prova Brasil. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 8, pp. 121-143.

Silva e Lira (2011). Impactos do Índice de Desenvolvimento da Educação (IDEB) na organização escolar e no trabalho docente em uma escola municipal de Campina Grande. IN: Anais do XX EPENN. Manaus, AM, Brasil.

Sousa, S. e Arcas, P. (2010). Implicações da Avaliação em Larga Escala no Currículo: revelações de escolas estaduais de São Paulo. Educação: teoria e Prática, 20 (35), pp.181-199.

Strasburg (2010). Relato de experiência da SMED de São Leopoldo a respeito da avaliação de larga escala. En F.Werle, (Ed) Avaliação em larga escala Foco na Escola. São Leopoldo: Oikos.

Vieira e Vidal (2011). Gestão educacional e resultados no IDEB: um estudo de caso em dez municípios cearenses. En F.D.reitas y G.Real, (Eds) Políticas e monitoramento da qualidade do ensino fundamental cenários municipais.Dourados:UFGD.




Copyright (c) 2016 REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación

REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación está indexada en:

Scopus, Emerging Sources Citation Index (ESCI), Google Académico, Dialnet, ISOC, Redalyc, EBSCO Fuente Académica Premier, EBSCO Fuente Académica Plus, ERIH PLUS, CIRC, DICE, GENAMICS, Latindex, MIAR, Resh, Biblioteca de la OEI, In-Recs, Iresie, REDIB, REDIAL, DOAJ, Dulcinea, EZB, BNE, GLOOBAL, REBIUN, Sudoc, WorldCat y Georgetown University Library, Copac *.