[POR] OS CARPINTEIROS NA INQUISIÇÃO DE LISBOA NO SÉCULO XVIII: TRABALHO, SOCIABILIDADES E CULTURA MATERIAL // THE CARPENTERS IN THE INQUISITION OF LISBON IN THE 18TH CENTURY: WORK, SOCIABILITIES AND MATERIAL CULTURE

João Furtado Martins

Resumen


Os processos instaurados pelo Tribunal do Santo Ofício constituem uma fonte rica e polivalente, para diversos estudos relativos à sociedade da Época Moderna. O trabalho que propomos realizar, vem na sequência desta abordagem mais ampla do conteúdo dos processos inquisitoriais, que ultrapassa o estudo dos delitos e das penas. O nosso estudo incidirá sobre os carpinteiros que foram alvo da máquina repressiva do Santo Ofício de Lisboa, no século XVIII. O objectivo principal será o de compreender as dinâmicas sociais e laborais destes indivíduos, sem contudo omitir a tipologia dos crimes cometidos.    

 

PALAVRAS-CHAVE: Carpinteiros; Trabalho; Sociabilidades; Cultura Material; Santo Ofício.

 

--

 

The proceedings instituted by the Tribunal of the Holy Office constitute a rich and versatile source, for several studies concerning the society of the Modern Age. The work we are proposing follows this broader approach to the content of inquisitorial processes, which goes beyond the study of crimes and penalties. Our study will focus on carpenters who were the target of the repressive machine of the Holy Office of Lisbon in the eighteenth century. The main objective will be to understand the social and work dynamics of these individuals, without, however, omitting the typology of the crimes committed.

 

KEYWORDS: Carpenters; Work; Sociabilities; Material Culture; Holy Office.


Texto completo:

PDF

Referencias


Fontes Manuscritas

Arquivo Nacional Torre do Tombo

Inquisição de Lisboa, processos: 7; 516; 516; 2365; 2693; 2786; 3132; 3132-1; 4399; 4871; 5528; 5631; 5771; 5850; 6840; 6982; 7966; 8204; 8221; 8440; 8641; 8642; 8657; 8691; 8909; 9729; 9804; 11164; 11178; 11203; 11327; 11510; 11517; 11595; 12895.

Fontes Impressas

Langhans, Paul, As Corporações dos Ofícios Mecânicos. Subsídios para a sua História, com um estudo de Marcelo Caetano, 2 vols. Lisboa: Imprensa Nacional de Lisboa, 1943-1946.

Leão, Duarte Nunes de. Livro dos Regimentos dos Officiais mecanicos da Mui Nobre e Sempre Leal Cidade de Lisboa (1574), publicado por Virgílio Correia. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1926.

Bibliografia

Repertórios

Cruz, António. “Casa dos Vinte e Quatro”, em Dicionário de História de Portugal, vol. I. Lisboa, Iniciativas Editoriais, [s.d.]. 515-516.

Mea, Elvira. “Nuovi Cristiani, Portogallo”, em Dizionario Storico dell´ Inquisizione, ed. Adriano Prosperi. Pisa, Edizione della Normale, 2010. 1124 – 1127.

Estudos

Alves, Milene Loirinho. “A Real Casa dos Expostos de Lisboa e a Aprendizagem dos Ofícios (1777-1812)”. Dissertação de Mestrado, Universidade de Lisboa, 2013.

Assis, Angelo Adriano Faria de. “Feitiçarias da Colónia. Magia e Práticas de Feitiçaria na América Portuguesa na Documentação do Santo Ofício da Inquisição”, em Anais do II Encontro Internacional de História Colonial. Caicó (RN): Mneme – Revista de Humanidades, nº 24, 2008. 1-13.

Braga, Isabel M. R. Mendes Drumond. “Para o Estudo da Minoria Cigana no Portugal Quinhentista”, Brigantia, vol. 12, nº4, Bragança, (1992). 29-47.

Braga, Isabel M. R. Mendes Drumond. A Bigamia em Portugal na Época Moderna: Sentir Mal do Sacramento do Matrimónio?. Lisboa: Hugin, 2003.

Braga, Isabel M. R. Mendes Drumond. “Judeus e Cristãos Novos: os que chegam, os que partem e os que regressam”, Cadernos de Estudos Sefarditas, nº 5, Lisboa, (2005): 9-29.

Braga, Isabel M. R. Mendes Drumond. Bens de Hereges. Inquisição e Cultura Material Portugal e Brasil (séculos XVII-XVIII). Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2012.

Braga, Isabel M. R. Mendes Drumond. Confeiteiros na Época Moderna: Cultura Material, Produção, e Conflituosidade”, em Ensaios sobre Património Alimentar Luso-Brasileiro, coord. de Carmen Soares e Irene Coutinho de Macedo. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2014. 165-192.

Caetano, Marcelo. A História da Organização dos Mesteres na Cidade de Lisboa. Braga [s.n.], 1959.

Chambouleyron, Raphael. “´Ásperas Proposições´ Jesuítas, Moradores e a Inquisição na Amazónia Seiscentista no Tempo de Vieira, Missionário”, Revista Lusófona de Ciência das Religiões, nº 13/14, Lisboa, (2008). 93-105.

Calainho, Daniela Buono. “Metrópole das Mandingas: Religiosidade Negra e Inquisição Portuguesa no Antigo Regime”. Tese de Doutoramento, Universidade Federal Fluminense, 2000.

Carvalho, Rosário Salema de. “O Regimento do Ofício de Ladrilhadores da Cidade de Lisboa”, Revista de Artes Decorativas, n.º 5, Porto, (2012). 79-105.

Cruz, António. As Corporações dos Ofícios Mecânicos. Subsídios para a sua História, com um estudo de Marcelo Caetano. 2 vols. Lisboa: Imprensa Nacional de Lisboa, 1943-1946.

Ferreira, J. A. Pinto. Os Mesteirais na Administração Pública em Portugal. Porto: Edições Maranus, 1951.

Guedes, Roberto. “Ofícios Mecânicos e Mobilidade Social: Rio de Janeiro e São Paulo (Sécs. XVII-XIX)”, Topoi, vol. 7, n.º 13, Rio de Janeiro, (2006). 379-423.

Guicheteau, Samuel. Les Ouvriers en France 1700-1835. Paris: Armand Colin, 2014.

Haemers, Jelle. “Révolte et Requête. Les Gens de Métiers et les Conflits Sociaux dans les Villes de Flandre ( XIII-XV siécle)”, Revue Historique, nº 677, [s.l], (2016): 27-56.

Hespanha, António Manuel. História das Instituições. Épocas Medieval e Moderna. Coimbra: Almedina, 1982.

Hespanha, António Manuel. As Vésperas do Leviathan. Instituições e Poder Político (Portugal, séc. XVIII). Coimbra: Almedina, 1994.

Lecerf, Florence. “La Sociedad Granadina de Principios del siglo XVI: contratos de Aprendizaje y Cartas de Servicio”, La Vida Cotidiana a través de los Textos (ss. XVI-XX). Estudios, coord. de María Isabel Montoya Ramírez e Gonzalo Águila Escobar. Granada: Editorial Universidade de Granada, 2009. 17-46.

Lima, Carlos. Artífices no Rio de Janeiro (1790-1808). Rio de Janeiro: Apicuri, 2008.

López Barahona, Victoria, Nieto Sánchez, José A. El Trabajo en la Encrucijada: Los Artesanos Urbanos en la Europa de la Edad Moderna. Madrid: Los Libros de la Catarata, 1996.

Macedo, Jorge Borges de. Problemas de História da Indústria Portuguesa no Século XVIII. 2ª edição. Lisboa: Editorial Querco, 1982.

Madureira, Nuno Luís. Cidade: Espaço e Quotidiano (Lisboa, 1740-1830). Lisboa: Livros Horizonte, 1992.

Madureira, Nuno Luís. Mercado e Privilégios. A Indústria Portuguesa entre 1750 e 1834. Lisboa: Editorial Estampa, 1997.

Marcocci, Giuseppe, Paiva, José Pedro, História da Inquisição Portuguesa 1536-1821, pp. 352-353.

Martins. João Furtado, Corrupção e Incúria no Santo Ofício. Ministros e Oficiais sob Suspeita e Julgamento. Lisboa: Centro de Estudos de História Religiosa, Universidade Católica Portuguesa, 2015.

Martins, Mónica. Entre a Cruz e o Capital: Mestres, Aprendizes e Corporações de Ofícios no Rio de Janeiro (1808-1824).

Matta, Glaydon Gonçalves “Tradição e Modernidade: Práticas Corporativas e a Reforma dos Ofícios em Lisboa no Século XVIII”. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal Fluminense, 2011.

Melo, Arnaldo Sousa. “A Organização dos Mesteres do Porto em Tempos Manuelinos: Entre Permanências e Mudanças”, em Actas do III Congresso Histórico de Guimarães. D. Manuel e a Sua Época. Guimarães: 2001. 369-389.

Melo, Arnaldo, Polónia, Amélia, Madureira, Nuno Luís, História do Trabalho e das Ocupações. 3 vols, Oeiras: Celta Editora, 2001.

Oldean, Crina Adriana. “A Denúncia ao Serviço da Fé ou da Vingança? A Delação Inquisitorial e os seus Efeitos”. Dissertação de Mestrado, Universidade de Lisboa, 2014.

Olival, Fernanda. “O Controle sobre Proposições na Inquisição de Lisboa (1681-1700)”. Achegas para um Estudo da Temática”, em Inquisição. Comunicações apresentadas ao 1º Congresso Luso-Brasileiro sobre Inquisição, coord. de Maria Helena Carvalho dos Santos, vol. 2. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Estudos do Séc. XVIII, Universitária Editora, 1989. 663-685.

Pereira, Diogo Tomaz. “Blasfémias e Proposições Heréticas: A Boca Maldita dos Padres Presos pela Inquisição de Lisboa”, Revista Faces de Clio, vol.1, nº 2, Juiz de Fora, (2015). 60-79.

Reis, Lysie. “Os Homens Rudes e muito Honrados Mesteres”, Revista da Faculdade de Letras: Ciências e Técnicas do Património, vol IV, Porto, (2005). 235-259.

Rios, Wilson. “A Lei e o Estilo: a Inserção dos Ofícios Mecânicos na Sociedade Colonial Brasileira. Salvador e Vila Rica (1690-1790)”. Tese de Doutoramento, Universidade Federal Fluminense, 2000.

Santos, Beatriz. O Corpo de Deus na América. A Festa de Corpus Christi nas Cidades da América Portuguesa – século XVIII. São Paulo: Annablume, 2005.

Santos, Beatriz. “Os Senhores do Tempo: a Intervenção do Bispado na Procissão de Corpus Christi no século XVIII”, Tempo, n.º 33, Niterói, (2012). 165-190.

Santos, Cândido dos. O Jansenismo em Portugal. Porto: Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2007. 119-125.

Serrão, Vítor. O Maneirismo e o Estatuto Social dos Pintores Portugueses. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1983.

Silva, Maria da Graça. “Leis e Saberes do Ofício de Alfaiate na Época Moderna: O Caso da Cidade de Lisboa Setecentista”. Dissertação de Mestrado, Universidade de Lisboa, 2012.

Souza, Laura de Mello e. O Diabo e a Terra de Santa Cruz. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

Souza, Laura de Mello e. Inferno Atlântico: Demonologia e Colonização: Séculos XVI-XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

Tavares, Maria José. Os Judeus em Portugal no séc. XIV. Lisboa: Guimarães & Ca, 1979.

Tavares, Maria José. Os Judeus em Portugal no séc. XV. Lisboa: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, 1982.

Tavares, Maria José. Judaísmo e Inquisição. Lisboa: Presença, 1987.




DOI: http://dx.doi.org/10.15366/ldc2017.9.m6.013

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2017 Librosdelacorte.es

Librosdelacorte.es

ISSN: 1989-6425