[POR] NOBILITADOS ENTRE CRISTÃOS-NOVOS E FAMILIARES DO SANTO OFÍCIO: O EXEMPLO DAS CASAS DA FAMÍLIA REAL //

Maria Paula Marçal Lorenço

Resumen


A partir dos fundos inquisitoriais portugueses, mas seguindo metodologias diversificadas das praticadas nos estudos mais recentes sobre a Inquisição, é objectivo deste texto dar a conhecer de que formas as elites jurídicas das duas principais Casas da Família Real, a Casa das Rainhas (1640-1754) e a Casa do Infantado (1654-1706) progrediram social e politicamente, alcançando honras, privilégios, «nobreza» e prestígio, não obstante, alguns dos seus membros nem sempre conseguirem provar a sua total «limpeza de sangue» ou por mácula de «mecânico» ou de cristão-novo.

 

PALAVRAS-CHAVE: Cristãos-novos, «limpeza de sangue», Casa das Rainhas, Casa do Infantado, elites jurídicas das Casas da Família Real. -- The purpose of this text is to provide information on the legal elites of the two main Houses of the Royal Family, Casa das Rainhas (1640-1754) and Casa do Infantado (1654-1706), based on Portuguese inquisitorial sources, but following different methodologies from those practiced in the most recent studies on the Inquisition. We will analyze how they progressed socially and politically, achieving honors, privileges, «nobility» and prestige, although some of its members are not always able to prove their total «blood cleansing» blemished by «Mechanical» or Christian-new.

 

KEYWORDS: Christian-new, «blood cleansing», Casa das Rainhas, Casa do Infantado, legal elites of the Houses of the Royal Family. 


Texto completo:

PDF

Referencias


Barbosa de Machado, Diego. “Belchior do Rego de Andrade”, Bibliotheca Lusitana, Historica, Chronologica (….). Lisboa, 1930, tomo I, 2ª ed., 1930.

Cardim, Pedro. “A Casa Real e os órgãos centrais de governo no Portugal na segunda metade de Seiscentos”, Tempo, nº 17, nº 13, Política e Administração no Mundo Luso-brasileiro. Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense, 2002.

Carlos Morales, Carlos Javier de. “El Poder de los Secretarios Reales: Francisco de Eraso”, en La corte de Felipe II, dir. José Martínez Millán. Madrid: Alianza Editorial, 1994. 107-148.

Fayard, Janine. Los miembros del Consejo de Castilla (1621-1746). Madrid: Siglo XXI, 1979.

Gonçalo Monteiro, Nuno. Elites e Poder Entre o Antigo Regime e o Liberalismo. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2003.

Hespanha, Antonio Manuel. As Vésperas do Leviathan. Instituições e Poder Político. Portugal- Século XVIII. Lisboa: Edição do autor, 1986, 1 vol.

Lourenço, Maria Paula Marçal. Casa, Corte e Património das Rainhas de Portugal (1640-1754). Poderes, Instituições e Relações Sociais. Dissertação de doutoramento em História Moderna apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 1999, 4 vols. (no prelo).

Lourenço, Maria Paula Marçal. A Casa e o Estado Infantado (1654-1706). Formas e práticas administrativas de um Património Administrativo. Lisboa: JNICT, Centro de História da Universidade de Lisboa, 1995.

Lourenço, Maria Paula Marçal. “O Regimento do Conselho da Fazenda e Estado de D. Luísa de Gusmão (1656): breve estudo das instituições da Casa das Rainhas a partir da 2ª metade do século XVII”, Jornada de Estudo, Rainhas consortes e suas Casas da Idade Média à Idade Moderna. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa/Centro de História, 16 de Março de 2016 ( no prelo).

Louzada Subtil, José Manuel. O Desembargo do Paço (1750-1833). Lisboa: Universidade Autónoma de Lisboa, 1996.

Louzada Subtil, José Manuel. “Os desembargadores em Portugal (1640-1826)”. Optima Pars.

Olival, Fernanda. “Juristas e Mercadores à Conquista das Honras: Quatro processos de nobilitação Quinhentistas”, separata da Revista de História Económica e Social, nº 4 , 2ª série/2º semestre de 2002.

Olival, Fernanda. As Ordens Militares e o Estado Moderno. Honra, Mercê e Venalidade (1641-1789). Lisboa: Estar Editora, 2001.

Soares da Cunha, Mafalda. A Casa de Bragança 1560-1640. Práticas senhoriais e redes clientelares. Lisboa: Estampa, 2000.

Taveira da Fonseca, Fernando. A Universidade de Coimbra (1700-1711), Estudo Económico e Social. Coimbra, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.15366/ldc2017.9.m6.007

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2017 Librosdelacorte.es

Librosdelacorte.es

ISSN: 1989-6425