Avaliação do Ensino por Alunos

Joice Trindade Silveira, João Batista Teixeira da Rocha

Resumen


Este trabalho trata da avaliação do ensino superior pelo viés dos alunos. A partir de análise bibliográfica e documental, discute as abordagens epistemológicas da avaliação educacional, sua situação atual no Brasil e apresenta alguns critérios e modelos utilizados internacionalmente em tais avaliações. O trabalho considera o ensino como a função principal da graduação e a avaliação do ensino pelos alunos como o meio de comunicação destes como o seu curso. No Brasil, o Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior (SINAES) enfatiza a necessidade da autoavaliação dos cursos de graduação e não define critérios, com o objetivo de que os próprios cursos possam definir suas prioridades e produzir as informações necessárias para a melhoria do ensino. O questionário é a ferramenta predominante quando se avalia um grande número de alunos e há muitos modelos validados que podem subsidiar o trabalho docente. A avaliação do ensino não pode ser dissociada da figura do professor e, quando bem planejada, pode contribuir tanto para o desenvolvimento docente quanto para a qualidade do ensino ministrado dentro das instituições.

Palavras-chave: Avaliação de cursos, Métodos de avaliação, Avaliação institucional, Avaliação da atividade docente pelos estudantes.

 

Evaluation of Teaching by Students

This work deals with the evaluation of higher education by the bias of the students. From the literature investigation and document analysis, discusses the epistemological approaches to the educational evaluation, its current situation in Brazil and presents some criteria and models used internationally in such assessments. The paper considers education as the main graduation function and evaluation of teaching by students as the way of their communication with its course. In Brazil, the National System of Higer Education Assessment (SINAES) emphasizes to need for self-assessment of courses and does not set criteria for it, for the purpose of the courses themselves define with the object of the courses can define their priorities and produce the necessary information to improve teaching. Questionnaire is the predominant tool when evaluating a large number of students and there are many validated models that can support the teaching. The evaluation of teaching cannot be dissociated from the teacher figure and, when well planned, can contribute to both teacher development and for the quality of education within institutions.

Keywords: Course evaluation, Evaluation criteria, Evaluation method, Institutional evaluation, Student evaluation of teacher performance.


Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Bittencourt, H. R., Creutzberg, M., De Morais Rodrigues, A. C., Casartelli, A. O. e Freitas, A. L. S. (2011). Desenvolvimento e validação de um instrumento para avaliação de disciplinas na educação superior. Estudos em Avaliação Educacional, 22(48), 91-113. doi:10.18222/eae224820111994

Bobbio, N. (1992) A era dos direitos. Rio de Janeiro: Campus/Elsevier.

Bloom, B. S. (1983). Manual de avaliação formativa e somativa do aprendizado escolar. São Paulo: Pioneira Editora.

Brandalise, M. A. T. (2010). Avaliação institucional da escola: Conceitos, contextos e práticas. Olhar de Professor, 13(2), 317-332. doi:10.5212/olharprofr.v.13i2.0008

Brasil. (2004). Lei nº.10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES.

Braskamp, L. A. e Ory, J. C. (1994). Assessing faculty work: Enhancing individual and institutional performance. San Francisco, CA: Jossey-Bass Inc.

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). (2016). Permanência no Sistema Nacional de Pós Graduação – Acompanhamento e avaliação trienal. Disponível em http://cartadeservicos.capes.gov.br

Chonko, L. B., Tanner, J. F. e Davis, R. (2002). What are they thinking? Students' expectations and self-assessments. Journal of Education for Business, 77(5), 271-281. doi:10.1080/08832320209599676

Coffey, M. e Gibbs, G. (2000). The evaluation of the student evaluation of educational quality (SEEQ) questionnaire in UK higher education. Assessment and Evaluation in Higher Education, 26(1), 89-93. doi:10.1080/02602930020022318

Cohen, P. A. (1980). Effectiveness of student rating feedback for improving college instruction. A metaanalysis of multisection validity studies. Research in Higher Education, 13(4), 321-341. doi:10.1007/bf00976252

Costa, E. Q., Domingues, J. R., Malheiros, L. R. e Jardim, M. F. B. (2013). Desafios à reforma curricular em um curso de graduação em nutrição. Demetra, 8(3), 469-485. doi:10.12957/demetra.2013.6210

Costa, N. M. C. (2009). Formação pedagógica de professores de nutrição: Uma omissão consentida? Revista de Nutrição, 22(1), 97-104. doi:10.1590/s1415-52732009000100009

Darling-Hammond, L. (2007). Recognizing and enhancing teacher effectiveness: A policy maker’s guide. Em L. Darling-Hammond e C. D. Prince (Eds.), Strengthening teacher quality in high-need schools—policy and practice (pp. 1-26). Washington D. C.: Council of Chief State School Officers.

Depresbiteris, L. (2005). Auto-avaliação das instituições de ensino superior. Estudos em Avaliação Educacional, 16(32), 7-24. doi:10.18222/eae163220052133

Hounsell, D., Entwistle, N., Anderson, C., Bromage, A., Day, K., Hounsell, J., Land, R., Litjens, J., McCune, V., Meyer, E., Reimann, N. e Xu, R. (2005). Enhancing teaching-learning environments in undergraduate courses. Final Report to the Economic and Social Research Council on TLRP Project L. Disponível em http://www.etl.tla.ed.ac.uk/docs/ETLfinalreport.pdf

Estrela, M. T. e Simão, A. M. V. (2003). Algumas reflexões sobre práticas de avaliação do ensino universitário e dos docentes a partir da informação recolhida no Projecto EVALUE. Revista Portuguesa de Educação, 16(1), 101-120.

Feldman, K. A. (2007). Identifying exemplary teachers and teaching: Evidence from student ratings. Em R. P. Perry e J. C. Smart (Eds.), The scholarship of teaching and learning in higher education: An evidence-based perspective (p. 93-143). Houten: Springer Netherlands.

Fernandes, D. (2008). Avaliação do desempenho docente: Desafios, problemas e oportunidades. Lisboa: Texto Editores.

Fernández, J. M., Sánchez, J. F. e García, M. A. M. (1996). Valoración por parte del profesorado de la evaluación docente realizada por los alumnos. Psicothema, 8(1), 167-172.

Franco, M. L. P. B. (1990). Pressupostos epistemológicos da avaliação educacional. Cadernos de Pesquisa, 74, 63-67.

Fullan, M. (1993). Change forces: Probing the depths of educational reform. Levittown, PA: Psychology Press.

Garcia, M. A. A. e Silva, A. L. B. (2011). Um perfil do docente de Medicina e sua participação na reestruturação curricular. Revista Brasileira de Educação Médica, 35(1), 58-68. doi:10.1590/s0100-55022011000100009

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

Herrera, F., Cano, M. Á., Hernández, L. y Morales, M. A. (2012). Sistema de evaluación del desempeño profesional docente para las licenciaturas del área de las ciencias biológicas y de la salud. RIEE. Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa, 5(2), 124-146.

Horta, J. S. B e Moraes, M. C. M. (2005). O sistema CAPES de avaliação da pós-graduação: Da área de educação à grande área de ciências humanas. Revista Brasileira de Educação, 30(4), 95-116.

Kuenzer, A. Z. e Moraes, M. C. M. (2005). Temas e tramas na pós-graduação em educação. Educação & Sociedade, 26(93), 1341-1362. doi:10.1590/s0101-73302005000400015

Lucas, L., Gibbs, G., Hughes, S., Jones, O. e Wisker, G. (1997). A study of the effects of course design features on student learning in large classes at three institutions: A comparative study. Em C. Rust e G. Gibbs (Eds.), Improving student learning: Improving student learning through course design (pp. 10-24). Oxford: Oxford Centre for Staff and Learning Development.

Marsh, H. e Roche, L. (1992). The use of student evaluations of university teaching in different settings: The applicability paradigm. Australian Journal of Education, 36(3), 278-300. doi:10.1177/000494419203600305

Marsh, H. W. e Dunkin, M. J. (1992). Students’ evaluation of university teaching: A multidimensional perspective. Em J. C. Smart (Ed.), Higher education: Handbook of theory and research (Vol. 8) (pp. 143-234). Nueva York: Agathon.

Marsh, H. W. e Roche, L. A. (1997). Making student’s evaluations of teaching effectiveness: The critical issues of validity, bias and utility. American Psychologist, 52(11), 1187-1197. doi:10.1037/0003-066x.52.11.1187

Marsh, H. W. (1982). SEEQ: A reliable, valid, and useful instrument for collecting students' evaluations of university teaching. British Journal of Educational Psychology, 52(1), 77–95. doi:10.1111/j.2044-8279.1982.tb02505.x

Marsh, H. W. (1984). Student’s evaluations of university teaching: Dimensionality, reliability, validity, potential biases and utility. Journal of Educational Psychology, 76(5), 707-754. doi:10.1037/0022-0663.76.5.707

Marsh, H. W. (2007). Students evaluations of university teaching: Dimensionality, reliability, validity, potential biases and usefulness. Em R. P. Perry y J. C. Smart (Eds.), The scholarship of teaching and learning in higher education: An evidence-based perspective (pp. 319-383). Houten: Springer Netherlands.

Morais, N., Almeida, L. e Montenegro, I. (2012). Percepções do ensino pelos alunos: Uma proposta de instrumento para o Ensino Superior. Análise Psicológica, 24(1), 73-86. doi:10.14417/ap.155

Naftulin, D. H, Ware, J. E e Donnelly, F. A. (1973). The Doctor fox lecture: A paradigm of educational seduction. Journal of Medical Education, 48(7), 630-635. 10.1097/00001888-197307000-0003

Ramsden, P. (1991). A performance indicator of teaching quality in higher education: The course experience questionnaire. Studies in Higher Education, 16(2), 129-150. doi:10.1080/03075079112331382944

Scriven, M. (1966). The methodology of evaluation. Social Science Education Consortium, Publ. 110. Boulder, CO: University of Colorado.

SINAES (Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior). (2003). Bases para uma nova proposta de avaliação do ensino superior. Brasil: Ministério da Educação.

Sobrinho, J. D. (2004). Avaliação ética e política em função da educação como direito público ou como mercadoria. Educação e Sociedade, 25(88), 703-725. doi:10.1590/s0101-7330200400300004

Sobrinho, J. D. (2003). Avaliação: Políticas educacionais e reformas da educação superior. São Paulo: Cortez.

Vieira, J. E. e Tamousauskas, M. R. G. (2013). Avaliação das resistências de docentes a propostas de renovações em currículos de Graduação em Medicina. Revista Brasileira de Educação Médica, 37(1), 32-38. doi:10.1590/s0100-55022013000100005




DOI: http://dx.doi.org/10.15366/riee2016.9.2.010

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa

ISSN: 1989-0397

doi: 10.15366/riee