Metodologia Ativa: Sala de Aula Invertida e suas Práticas na Educação Básica

Zeni Terezinha Gonçalves Pereira, Denise Quaresma da Silva

Resumen


Este estudo propõe uma investigação sobre a metodologia ativa chamada "sala de aula invertida" e suas práticas na educação básica, problematizando como estas ocorrem. Na introdução, justificamos a importância da temática como foco investigativo. Metodologicamente, trata-se de um estudo qualitativo, utilizou-se de uma revisão bibliográfica em dissertações produzidas em âmbito nacional que contemplaram os temas metodologia ativa, sala de aula invertida, sendo que a busca dos dados foi realizada no período de 2014 a 2018, na base de dados da capes de teses e dissertações a partir dos descritores "metodologia ativa" e "sala de aula inversa." Os resultados preliminares apontaram 36 dissertações, desse total 8 atenderam aos critérios de inclusão sendo 06 de mestrado scrito sensu e 02 de mestrado profissional, as demais foram excluídas por não estabelecer um diálogo adequado e em consonância com a temática. As conclusões apontaram que ao se pensar na sala de aula invertida como uma prática devemos considerar o papel fundamental da tecnologia, bem como a mudança de papel do professor que se torna o mediador do processo e entendemos que a sala de aula invertida se enquadra como uma estratégia de ensino-aprendizagem. Todavia, a educação básica demanda novos formatos de interação discente-docente-discente e ao que tudo indica as metodologias ativas estão conquistando espaço, mas ainda requerem apropriação por parte dos professores e demais envolvidos nos processos acadêmicos. 


Palabras clave


Educação básica; Teses; Salas de aula; Ensino; Métodos de ensino.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Anastasiou, L. G. C. e Alves, L. P. (2007). Processos de ensinagem na universidade: Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula/org. Santa Catarina: Univille Universidade.

Bergmann, J. e Sams, A. (2018). Sala de aula invertida: Uma metodologia ativa de aprendizagem. Rio de Janeiro: LTC.

Camargo, F. e Daros, T. (2018). A sala de aula inovadora: Estratégias pedagógicas para fomentar o aprendizado ativo. Porto Alegre: Penso.

Carranza Alcántar, M. R. e Caldera Montes, J. F. (2018). Percepción de los estudiantes sobre el aprendizaje significativo y estrategias de enseñanza en el Blended Learning. REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, 16(1), 73-88. https://doi.org/10.15366/reice2018.16.1.005

Díaz Barriga, F. B. (2010). Estrategias docentes para un aprendizaje significativo. Ciudad de México: Mc Graw Hill.

Flipped Learning Network. (2014). The four pillars of F-L-I-P. Recuperado de http://www.flippedlearning.org/domain/46

Freire, P. (1987). Pedagogía do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Gil, A. C. (2007). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Hattie, J. (2017). Aprendizagem visível para professores: Como maximizar o impacto da aprendizagem. Porto Alegre: Penso.

Horn, M. B e Staker, H. (2015). Blended: Usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Porto Alegre: Penso.

LDB-Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Lei nº 9.394/1996. Brasília: Senado Federal. Recuperado de http://www2.senado.leg.br/bdsf/item/id/529732

Martins da Silva, F. C., Sampaio Lima, A. e Bandeira Andriola, W. (2016). Avaliação do suporte de TDIC na formação do pedagogo: Um estudo em Universidade Brasileira. REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, 14(3), 77-93. https://doi.org/10.15366/reice2016.14.3.004

Mora Reyes, J. Z. e Morales Rivera, S. P. (2016). Fortalecimiento en los procesos lecto-escritos en primera infancia a través de blended-learning. REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, 14(1), 112-135. https://doi.org/10.15366/reice2016.14.1.007

Moran, J. (2013). Educação híbrida: Um conceito-chave para a educação. En T. N. Bacich (Org.), Ensino híbrido: Personalização e tecnologia na educação (pp. 28-45). Porto Alegre: Penso.

Moran, J. e Bacich, L. (2018). Metodologias ativas para uma educação inovadora: Uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso.

Saks, F. C. (2005). Busca booleana: Teoria e prática. Curitiba: Universidade Federal do Paraná.

Tardif, M. (2014). Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes.

Tozoni-Reis, M. F. C. (2009). Metodologia da pesquisa. Curitiba: IESDE Brasil S.A.




DOI: http://dx.doi.org/10.15366/reice2018.16.4.004

Copyright (c) 2018 REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación está indexada en:

Scopus, Emerging Sources Citation Index (ESCI), Google Académico, Dialnet, ISOC, Redalyc, EBSCO Fuente Académica Premier, EBSCO Fuente Académica Plus, ERIH PLUS, CIRC, DICE, GENAMICS, Latindex, MIAR, Resh, Biblioteca de la OEI, In-Recs, Iresie, REDIB, REDIAL, DOAJ, Dulcinea, EZB, BNE, GLOOBAL, REBIUN, Sudoc, WorldCat y Georgetown University Library, Copac *.