Custos nas instituições Federais de Ensino Superior: Análise Comparativa entre Duas Universidades Federais do Sul do Brasil

Angélica Violeta Chiau, Laurindo Panucci-Filho

Resumen


A educação, aliada ao desenvolvimento dos países, e seus benefícios com reflexos nos custos tanto para os indivíduos quanto para a sociedade, constituem preocupação tanto o Estado quanto para as famílias. No âmbito do ensino superior brasileiro, o custo é debatido em torno do denominado custo por aluno. O Ministério da Educação definiu uma fórmula para o cálculo deste indicador de desempenho, e o Tribunal de Contas da União faz uso deste como forma de mensurar o desempenho das instituições federais de ensino superior. No entanto, para alguns estudiosos, este é um indicador que necessita de aprimoramento, na medida em que deixa de contemplar todos os aspectos inerentes à mensuração do desempenho dessas instituições, levando a um viés. Este trabalho tem como principal objetivo comparar os custos de duas instituições federais de ensino superior brasileiras, de modo a identificar se as variações ocorridas ao longo dos anos analisados são significativas.


Palabras clave


IFES; Custo por aluno; Custos; Comparação; Desempenho.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Alonso, M. (1999). Custos no serviço público. Revista do Serviço Público, 50(1.1), 37-63.

Alsalam, N.(1995). The Cost of Higher Education. National Center for Education Statistics. Recuperado de http://www.nces.ed.gov/

Álvarez, J.M. (2002). El análisis de costos en la educación como estrategia de evaluación institucional. Cuaderno de Investigación en la Educación, 18, 1-24.

Amaral, A., Jones, G.A. y Karseth, B. (2008). Cost-Sharing and Acessibility in Higher Education: A Fair deal? Lisboa: Centro de Investigação de Políticas do Ensino Superior (CIPES).

Amaral, N.C. (1999). Autonomia das IFES: desafios e polêmicas. Caminhos, Belo Horizonte, 1, 43-58.

Amaral, N.C. (2003). Financiamento da educação superior: estado x mercado. São Paulo: Cortez.

Amaral, N.C.. (2004). Evolução do custo do aluno das IFES: eficiência? Revista Avaliação – Revista de Avaliação Institucional da Educação Superior, 9(2), 115-125.

Amaral, N.C. (2008). Autonomia e financiamento das IFES: desafios e ações. Avaliação, Campinas, 13(3), 647-680.

Amaral, N.C. (2009). O financiamento do sistema público federal de ensino superior. Recuperado de http://www.andifes.org.br/

Archibald, R.B. y Feldman, D.H. (2006). Explaining Increases in Higher Education Costs. College of William and Mary. Recuperado de http://www.ideas.repec.org/

Archibald, R.B. y Feldman, D.H. (2008). Explaining Increases in Higher Education Costs. The Journal of Higher Education, 79(3), 268-295.

Baum, S.y Payea, K. (2004). The Benefits of Higher Education for Individuals and Society. Trends in Higher Education. Education Pays.

Becker, W.E. y Lewis, D.R. (1993). Higher Education and Economic Growth. Boston, MA: Kluwer Academic Publisher.

Bowen, H.R. y Fincher, C. (1996). Investment in Learning: the individual and social value of American higher education. New Brunswick, NJ: Transaction Publishers.

Brasil. (1986). Decreto n.o 93.872, de 23 de dezembro de 1986. Dispõe sobre a unificação dos recursos de caixa do Tesouro Nacional, atualiza e consolida a legislação pertinente e dá outras providências. DOU, Brasília, DF, 24 dez.

Brown, W.A. y Gamber, C. (2002). Cost Containment in Higher Education: Issue and Recommendations. San Francisco, CA: Ashe-Eric

Capintéro, J. (2002). Custo/aluno na universidade: considerações metodológicas. Recuperado de http://www.unicamp.br/document/

Dearden, J. (1976). Análise de custos e orçamentos nas empresas (3ª ed). Rio de Janeiro: Zahar.

Domingos, N. y Morgan, B.F. (2005, novembro). O uso de sistemas de custeio pelas instituições de ensino superior privadas do Distrito Federal. Comunicación presentada en el IX Congresso Internacional de Custos. Florianópolis, Brasil.

Field, A. (2009). Discovering Statistics Using SPSS. Londres: SAGE Publications.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (4ª ed). São Paulo: Atlas.

Jenny, H. (1996). Cost accounting in higher education: simplified macro and micro-costing techniques. Washington, DC: National Association of College and University Business Officers.

Kohama, H. (2006). Contabilidade pública, teoria e prática (10ª ed) .São Paulo: Atlas.

Kraemer, M. (2005). A eficiencia do custeio baseado em atividades em instituciones de ensino superior. Recuperado de http://www.gestiopolis.com

Lewis, D y Dundar, H. (2001). Epilogue to costs and productivity in higher education. En M.B. Paulsen y J.C. Smart (eds.), The Finance of Higher Education: Theory, Research, Policy & Practice. Nueva York: Agathon Press.

Lopes, J. (1997). Aspectos administrativos, pedagógicos e legais dos centros universitários. Brasília, 15(20), 19-22.

MacGregor, K. (2009). Africa: Higher Education and Development. Recuperado de www.universityworldnews.com

Martins, H. (2005). Gestão de recursos públicos: orientação para resultados e accountability. Revista Eletrônica sobre a Reforma do Estado, 3, 1-15.

Menegat, V. (2006, abril). Utilização dos sistemas de custos pelas instituições de ensino superior do sistema Acafe – SC. Comunicación presentada en el 6o Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. São Paulo.

Ministério da Educação do Brasil (MEC-Br) (2005). Cálculo do aluno equivalente para fins de análise de custos de manutenção das IFES. Brasília: Secretaria de Educação Superior

Ministério da Educação. Secretaria de Educação Superior (MEC/SESu). (1994) Programa de avaliação institucional das universidades brasileiras - (PAIUB). Brasília: MEC/SESU.

Morgan, B. (2004). A determinação do custo do ensino na educação superior: o caso da universidade de Brasília. Brasília: Universidade de Brasília.

Organization for Economic Co-Operation and Development (OECD) (2007). Education at a Glance: Highlights. París: OCDE.

Paulsen, M. y Smart, J.C. (2001). The Finance of Higher Education: Theory, Research, Policy and Practice. Nueva York: Agathon Press.

Peter, M., Martins, E., Pessoa, M.y Peter, F. (2003). Proposta de um sistema de custos para as universidades federais brasileiras fundamentado no Activity Based Costing. São Paulo: Anpad.

Porto, C. y Régnier, K. (2003). O ensino superior no mundo e no Brasil: condicionantes tendências e cenários para o horizonte 2003-2005: uma abordagem exploratória. Recuperado de http://www.mec.gov.br/sesu/

Schwartzman, S. (1996). O ensino superior no Brasil: a busca de alternativas. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Altos Estudos. Recuperado de http//www.schwartzman.org.br

Siegel, S., Castellan J. y John, N. (2006). Estatística não-paramétrica para ciências do comportamento (2ª ed). Porto Alegre: Artmed.

Silva, A. C. (2001). Alguns problemas do nosso ensino superior. Estudos Avançados, 15(42), 1-24.

Silva, C. (Org.). (2007). Custos no setor público. Brasília: UnB.

Soubbotina, T. (2004). Beyond Economic Growth: Na Introduction to Sustainable Development. Washington, DC.: The World Bank.

Tribunal de Contas da União. Secretaria de Planejamento e Gestão. (2004). Competências legais do TCU. Brasília: UnB.

Tribunal de Contas da União. Secretaria de Planejamento e Gestão. (2008). Grupo I – Classe VII – Plenário TC. Recuperado de http://www.fcpc.ufc.br/

Tucci, A. (2008). O ensino superior no Brasil virou um comércio de diplomas. Recuperado de http://www.administradores.com.br

UFRGS-Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2010). Pró-Reitoria de Planejamento e Administração. Relatório de Gestão. Brasilia: UFRGS.

UFPR-Universidade Federal do Paraná (2009). Pró-Reitoria de Planejamento, Orçamento e Finanças. Relatório de Atividades. Brasilia: UFRGS

UFPR-Universidade Federal do Paraná (2010). Relatório de Gestão-2009. Recuperado de http://www.proplan.ufpr.br/home/

Vergara, S.C. (2000). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas.

Will, K. (2005). The value of a higher education is intangible. Recuperado de http://www.npr.org/




Copyright (c) 2016 REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación

REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación está indexada en:

Scopus, Emerging Sources Citation Index (ESCI), Google Académico, Dialnet, ISOC, Redalyc, EBSCO Fuente Académica Premier, EBSCO Fuente Académica Plus, ERIH PLUS, CIRC, DICE, GENAMICS, Latindex, MIAR, Resh, Biblioteca de la OEI, In-Recs, Iresie, REDIB, REDIAL, DOAJ, Dulcinea, EZB, BNE, GLOOBAL, REBIUN, Sudoc, WorldCat y Georgetown University Library, Copac *.