Estudo das Metodologias e Estratégias do Programa de Português dos Cursos Profissionais de Nível Secundário: O Caso do Concelho de Almada

Maria Joana Campos, Tomás Sola Martínez, Inmaculada Aznar Díaz

Resumen


O Programa de Português dos Cursos Profissionais de nível secundário decorre da reforma curricular de 2004 e inscreve-se numa série de iniciativas que tiveram largo alcance na natureza da educação, optando pela metodologia cognitivista/construtivista/humanista e por estratégias cognitivas e metacognitivas. Este estudo pretende comprovar se os professores põem em prática as metodologias e as estratégias propostas pelo programa. Utilizámos métodos quantitativos e qualitativos e fizemos a posterior triangulação, ampliando e completando a produção de conhecimento e aportando informação acrescida. Apesar da proposta da metodologia consignada no texto programático e das estratégias específicas para desenvolver competências, os professores utilizam, preferencialmente a metodologia transmissiva, caracterizada como prática apresentativa de conteúdos declarativos, perpetuam as suas práticas pedagógicas, “ensinando todos como se fossem um só” e partindo do princípio que os alunos não são capazes de realizar tarefas complexas o que pode impedir o desenvolvimento da sua plena autonomia.

 


Palabras clave


Cursos Profissionais; Paradigmas; Metodologias; Estratégias.

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


Aguiar e Silva, V. (1999). Teses sobre o ensino do texto literário na aula de Português. Diacrítica, 23(2), 13-14.

Almeida, L.S. (1993). Rentabilizar o ensino-aprendizagem escolar para o sucesso e o treino cognitivo dos alunos. En L.S. Almeida (Ed.), Capacitar a escola para o sucesso (pp. 34-45). Vila Nova de Gaia: Edipsico.

Almeida, L.S. (2002). Facilitar a aprendizagem: ajudar aos alunos a aprender e a pensar. Psicologia Escolar e Educacional, 2(6), 23-38.

Ausubel, D.P., Novak, J.D. e Hanesian, H. (1980). Psicologia Educacional. Rio de Janeiro: Interamericana.

Cañizares, Y. e Guillén, A.L. (2013). Auto-Conocimiento de los Estilos de Aprendizaje, Aspecto Esencial en la Actividad de Estudio. REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, 11(3), 123-137.

Cazalma, A., Picado, L., Sola Martínez, T. e Viseu Ferreira, R. (2013). Educação para a Cidadania Democrática em Angola: O Papel da Educação para a Cidadania no Bem-Estar. Estudo Realizado com a Comunidade da Província de Luanda. REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, 11(3), 155-175.

Casas, A.M. (1994). Introductión a las dificuldades en el aprendizage. Valencia: Promolibro.

Cruz, V. e Fonseca, V. (2002). Educação cognitiva e aprendizagem. Porto: Porto Editora.

Decreto-Lei nº 26/89. Criação das escolas profissionais.

Decreto Lei 74/2004. As rectificações da Declaração de Rectificação n.º 44/2004, de 25 de Maio, Diário da República 73, Série I-A .

Feuerstein, R. (1993). La teoria de la modificabilidad estructural cognitiva. Un modelo de evaluación y entrenamiento de los procesos de la inteligencia. En J.A. Beltrán, V., Bermejo, M.D. Prieto e D. Vence (Eds.), Intervención psicológica (pp. 39-48). Madrid: Ediciones Pirâmide.

Fernandes, D. (2005). Avaliação das aprendizagens: Desafios às teorias, práticas e políticas. Lisboa: Texto Editores.

Figueira, A.P.C (2005). Estratégias cognitivo/comportamentais de aprendizagem. Problemática conceptual e outras rubricas. Revista Iberoamericana de Educación, 37(6).

Kirby, J.R. (1984). Strategies and processes. En J.R. Kirby, Cognitive strategies and educational performance (pp. 3-12). Orlando: Academic Press.

Lei nº 46/86 de 14 de Outubro. LBSE. Série I-A.

Lei nº 49/2005, de 30 de Agosto. Diário da República 39, Série I-A.

Ministério da Educação (2003). Reforma do Ensino Secundário. Documento Orientador da Revisão Curricular do Ensino Profissional (DORCEP). Recuperado de http://www.fenprof.pt/

Moreira, M.A.L. (2005). A investigação-acção na formação em supervisão no ensino de inglês: processos de (co)construção de conhecimento profissional. Braga: Universidade do Minho.

Morissette, R. (2002). Accompagner la construction des saviors. Montréal/Toronto: Chenelière/McGraw-Hill.

Novais, A. e Cruz, N. (1989). O ensino das ciências, o desenvolvimento das capacidades metacognitivas e a resolução de problemas. Revista Educação, 1(3), 65-89.

Novak, J. e Gowin, D. (1999). Aprender a aprender. Lisboa: Plátano Edições Técnicas.

Orvalho, L. e Alonso, L. (2009). Actas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia. Braga: Universidade do Minho.

Perrenoud, P. (2000). Construire des compétences dès l’école. Paris: ESF Éditeur.

Pocinho, M.D. e Canavarro, J.M. (2009). Sucesso escolar e estratégias de compromisso e expressão verbal: Como compreender as matérias e as aulas. Odivelas: Edições Pedago.

Rebelo, J.A.S. (1993). Dificuldades da leitura e da escrita em alunos do Ensino Básico. Rio Tinto: Edições Asa.

Roldão, M.C. (2009). Estratégias de Ensino. O saber e o agir do professor. Vila Nova de Gaia: Fundação Manuel Leão.

Sampaio Lima, A. e Andriola, W. (2013). Avaliação de Práticas Pedagógicas Inovadoras em Curso de Graduação em Sistemas de Informação. REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, 11(1), 104-121.

Tardif, J. (1999). Le transfert des apprentissages. Montréal: Les Éditions Logiques.




Copyright (c) 2016 REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación

REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación está indexada en:

Scopus, Emerging Sources Citation Index (ESCI), Google Académico, Dialnet, ISOC, Redalyc, EBSCO Fuente Académica Premier, EBSCO Fuente Académica Plus, ERIH PLUS, CIRC, DICE, GENAMICS, Latindex, MIAR, Resh, Biblioteca de la OEI, In-Recs, Iresie, REDIB, REDIAL, DOAJ, Dulcinea, EZB, BNE, GLOOBAL, REBIUN, Sudoc, WorldCat y Georgetown University Library, Copac *.